Tel.: +55 11 4301-3714 / 4301-3715

O que é osteomielite?

Osteomielite (do grego osteos = osso + myelós = medula + -ite, que, em medicina, indica inflamação) é a inflamação aguda ou crônica do osso. Usualmente essa infecção é causada por bactérias piogênicas (produtoras de pus) ou fungos, que pode comprometer também a medula óssea e o periósteo (membrana que reveste o osso). A bactéria que mais comumente causa a osteomielite é o Staphylococcus aureus, mas o agente responsável varia de acordo com a idade do paciente e o mecanismo da infecção. Os ossos longos dos membros e da coluna vertebral são os mais frequentemente acometidos, no entanto a osteomielite pode acometer qualquer osso do corpo. A inflamação da medula óssea pode fazer pressão contra a parede rígida do osso e comprimir os vasos sanguíneos contidos nela, interrompendo o fornecimento de sangue ao osso, causando a morte dele.

A osteomielite sempre começa como infecção aguda e caso não seja tratada adequadamente evolui para uma forma crônica.

Quais são as causas da osteomielite?

A osteomielite é uma infecção causada por bactérias, fungos ou vírus, que podem chegar aos ossos principalmente por uma dessas três vias:

  1. Circulação sanguínea: uma infecção pré-existente que se espalha pelo corpo através do sangue.
  2. Invasão direta: fraturas expostas, cirurgias, implantes ou próteses, etc.
  3. Infecções dos tecidos moles adjacentes (trauma, cirurgia ou foco infeccioso junto ao osso).

Pode também ser secundária a uma doença vascular periférica que produza isquemia no osso. As pessoas diabéticas são mais suscetíveis ao desenvolvimento da osteomielite.

Quais são os sinais e sintomas da osteomielite?

Às vezes a osteomielite passa meses ou anos sem produzir sintomas, mas quando eles começam, normalmente, a osteomielite causa febre e dor no osso infectado, que piora à noite e com a movimentação. Os tecidos que recobrem o osso podem mostrar-se inchados e inflamados e os movimentos podem se tornar dolorosos. As vértebras normalmente desenvolvem infecções mais graduais, causando dores persistentes nas costas e sensibilidade aumentada ao tato. A febre pode estar ausente. Nas infecções crônicas que transbordam os ossos podem formar-se abscessos nos tecidos moles adjacentes, causando uma supuração constante ou intermitente através da pele.

Como o médico diagnóstica a osteomielite?

Uma primeira suspeita diagnóstica pode advir dos sintomas e dos exames físicos. Um exame de sangue pode auxiliar o diagnóstico, indicando se há uma quantidade aumentada de leucócitos (sobretudo nas formas agudas) bem como taxas elevadas de proteína C reativa e velocidade de sedimentação. A cintilografia óssea, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética ajudam a identificar a zona infectada. No entanto, para saber-se qual é a bactéria ou fungo que está causando a infecção deve-se colher amostras de sangue, pus, líquido articular ou do próprio osso.

Como o médico trata a osteomielite?

O tratamento básico da osteomielite é feito com antibióticos. Deve-se escolher os antibióticos que têm boa penetração óssea e que cubram os germes mais comumente responsáveis pela osteomielite. No princípio eles devem ser administrados por via endovenosa, podendo mais tarde ser dados por via oral. A terapia com antibióticos deve durar no mínimo quatro a seis semanas, sendo que algumas pessoas necessitarão de meses de tratamento. Os abscessos quase sempre necessitarão de drenagem cirúrgica. A drenagem sempre deverá ser feita quando o pus do osso infectado abrir caminho até à pele, formando uma fístula. Os tecidos e ossos mortos devem ser extraídos cirurgicamente e o espaço vazio deve ser preenchido com osso, músculo ou pele sãos. Em casos graves pode ser necessária a amputação do membro ou a extirpação do osso afetado.

Como prevenir a osteomielite?

Não há uma maneira específica de se prevenir a osteomielite. Deve-se procurar evitar as suas possíveis causas.

Como evolui a osteomielite?

Se uma infecção óssea não for tratada de maneira adequada, pode produzir-se uma osteomielite crônica que venha a demandar extração do osso ou até mesmo a amputação do membro comprometido.

Pode haver evolução do processo inflamatório para as articulações, levando à artrite e artrose.

Em pacientes com osteomielite crônica há o risco de septicemia (infecção generalizada).

Fonte: www.abc.med.br

  • Carlos Eduardo Colnago

    Minha esposa colocou e curou a infeccao de osteomielite não não ajudou criar massa óssea, hoje já tem 1ano e 3 mês. Face, Carlos Eduardo Colnago. 028 99885.2735

Todos os Direitos Reservados © | Ossis Medical 2013
Desenvolvido por Estudio Paladino